image_2508_2-Scholzs-Star1-720x320

Conheça a estrela que “invadiu” o Sistema Solar

Imagem mostra a estrela binária de Scholz (centro).

Uma equipe internacional de cientistas determinou que há 70 mil anos atrás o sistema binário de baixa massa WISE J072003.20-084651.2, apelidado de Scholz, passou há apenas 0,8 anos luz do Sol: ou seja, cruzou a parte interna da Nuvem de Oort (nuvem de cometas existente nos limites do Sistema Solar). Nenhuma outra estrela conhecida se aproximou tanto do Sistema Solar. A distância é de cerca de 5 vezes mais perto do que a Proxima Centauri, a estrela mais próxima já descoberta.

O WISE J072003.20-084651.2 é um sistema binário formado por uma anã vermelha (estrela com massa de aproximadamente 8% do Sol) e uma anã marrom (com cerca de 6% da massa solar). Atualmente ela está localizada há cerca de 20 anos luz de distância.

A trajetória do corpo celeste sugere que ele passou cerca de 52 mil unidades astronômicas (uma unidade astronômica é a distância existente entre a Terra e o Sol). Segundo os pesquisadores, o sistema possui uma mistura pouco comum de características: mesmo estando relativamente perto, ele mostra ter um movimento tangencial muito lento.

Os cientistas simularam 10.000 órbitas para a estrela de Scholz, considerando sua posição, velocidade, distância e campo gravitacional da Via Láctea, além das incertezas estatísticas em tais medições. Dessas 10.000 simulações, 98% delas mostraram que a estrela passa pela parte exterior da Nuvem de Oort, enquanto apenas uma das simulações indicou que o sistema possa ter adentrado a nuvem, o que poderia desencadear uma chuva de cometas.

Representação artística da estrela de Scholz há 70 mil anos atrás, na sua proximidade máxima com o Sistema Solar.

No ponto mais próximo do Sistema Solar, o sistema pode ter sido uma estrela de magnitude 10, ou seja, com um brilho de cerca de 50 vezes mais fraco do que o necessário para vermos a olho nu.

“A proximidade e o pequeno movimento tangencial indicaram inicialmente que a estrela se movia ao encontro do Sistema Solar ou estava se afastando de um encontro recente. Com certeza, as medições de velocidade radial foram consistentes ao indicar que a estrela está saindo da vizinhança do Sistema Solar”, afirmou o Dr. Mamajek, pesquisador que liderou os estudos.

Novo Cientista

Sci-News

BBC

Comentários

Comentários