unnamed (2)

“Milho de pipoca quem não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre.”

“Assim acontece com a gente.

As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.

Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira.

São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo.

O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor.

Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre.

Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.

Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!

Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também.

Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer. Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que esta sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM! E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.

Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar.

São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras, a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva.

Não vão dar alegria para ninguém.”


(Extraído do livro “O amor que acende a lua”, de Rubem Alves.)

 

medita

9 maneiras de se livrar das desculpas e meditar já

Cientistas vêm comparando a meditação hoje com a alimentação saudável nos anos 80 e 90, e a prática de correr na rua nos anos 60 e 70. Quem está de fora não entende muito bem. “Você corre? Pra quê?”, era o que se ouvia. “Você não bebe refrigerante? Só come salada?”, era o que se ouvia. E hoje isso tudo virou “normal”. O mesmo parece acontecer com a meditação. Os que meditam agora são pioneiros de uma prática que será essencial pro nosso futuro. Muito provavelmente daqui a uns 10, 15 anos, meditar será algo tão comum quanto comer menos junk food ou se inscrever numa corrida de rua.

Passei algumas semanas imerso em estudos sobre meditação. Assisti a palestras, li vários artigos e engrenei, meditando todo dia sem falta há quase três meses, com o auxílio do app Headspace. Quem diria que o iPhone seria fundamental para o hábito de meditar.

Aqui vão alguns dos ensinamentos complementares que aprendi nas últimas semanas. Dessa vez você não vai ter desculpa para deixar de meditar :)

1 – Pra que meditar?


Para viver mais presente no momento, sem se perder em preocupações. Meditar ajuda a mudar outros hábitos. Você passa a perceber melhor os pensamentos chegando e como eles podem te afetar. Meditar não é sinônimo de “desestressar” ou de “encontrar a paz”. Meditar pensando especificamente nisso só traz frustração e ainda mais stress. É uma prática, então melhora com o tempo.

2 – Como eu começo? Do que eu preciso?


Senta e medita. Coloca a bunda na almofada e vai :)
Não precisa ser demorado nem desconfortável, nem de uma cadeira ou almofada específica ,basta um lugar onde você se sinta confortável por alguns minutos.
Eu me tranco no quartinho dos fundos por vinte minutos todo dia depois do café da manhã, sento num tapete de yoga, e mando ver.

3 – De quanto tempo eu preciso?


Poucos minutos diários já valem. Separe um tempo mínimo da sua rotina diária para meditar, mesmo que seja 2 ou 5 minutos. Comece meditando por 2 minutos, e nos outros dias, se você se sentir bem para isso, vá aumentando o tempo. Dá pra meditar em 1 minuto.

Criar o hábito é mais importante do que o resultado ou o tempo de prática, pelo menos inicialmente. A longo prazo, a ideia é meditar diariamente, então evite meditar mais do que o tempo confortável para você.

meditationclass

4 – Eu queria meditar, mas não tenho tempo.
Se você não consegue separar 2 minutos do seu dia para trabalhar num hábito que só trará benefícios, sem exigir nada além da sua concentração, então repense sua vida.
Todos nós somos ocupados e temos prioridades. O interessante é meditar até quando você está ocupado (principalmente quando estiver ocupado), já que a meditação pode ajudar nesses momentos.

5 – Onde eu devo focar quando medito?
Existem diversas opções. Pode usar uma contagem. Um inspirando, dois expirando… Três inspirando, quatro expirando… Chegando no dez, volta pro um. Atente ao movimento da barriga enquanto você respira.
Recite um mantra. Tenha pensamentos positivos. Varie os focos de vez em quando, semanalmente se possível. Comece prestando atenção a uma parte do seu corpo (nariz ou narina, por exemplo) e aos poucos vá para outras, sentindo cada uma. Foque inclusive em órgãos internos (pulmões, ouvidos, etc). Futuramente você pode focar em mais de um lugar ao mesmo tempo, ou nos sons à sua volta.

6 – Eu tento meditar, mas acho que medito errado. Já vi outras pessoas e eu faço diferente.
Não existe forma errada de meditar. Errado é não meditar :)
Cada um tem seu jeito. Basta sentar, prestar atenção ao próprio corpo, principalmente à respiração, e não se afetar com os devaneios da mente. Pensamentos virão. Mantenha a calma e não deixe a mente te dominar. Isso melhora com o tempo (digo isso por experiência própria).

7 – Já tentei meditar e não consegui esvaziar a mente.
Isso acontece mesmo, com todo mundo, principalmente com quem está começando. Mas o objetivo não é esvaziar a mente, e sim conseguir prestar atenção em apenas uma coisa. Perceba os pensamentos vindo, assista e deixe passar. Assim você evita o stress ao meditar. Mais uma vez: a melhora só vem com a prática.

8 – Tenho vergonha de meditar perto de quem não medita.
Acorde cedo e medite na cama, no banheiro, na banheira… O lugar não importa. Você pode até convidar essas pessoas para meditar com você, para elas verem como é. Quem sabe você não consiga um parceiro de meditação e melhore ainda mais?

9 – Não sei meditar sozinho. Fico perdido e não sei se está certo.
Exatamente eu quando comecei. Fazer yoga com um bom professor ajudou muito. A parte da meditação era o que eu mais gostava. Depois descobri o app,Headspace. Eu sento, coloco o fone, e sigo as instruções que vou ouvindo.
Você também pode participar de sessões em centros Budistas para ver como é, sem nenhum compromisso.
Pode ler livros de meditação como o da Sandra Rosenfeld, que me ajudou muito também.

 

Marcio CS

 

 

1531972_571839032885662_298386900_n

SAL GROSSO é reverenciado pela ciência

SAL GROSSO CIENTIFICAMENTE PROVADO – ONDA VIOLETA
“E você pensou que era só misticismo?

Quem diria! O Sal grosso tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta
O sal grosso é considerado um potente purificador de ambientes.
Povos distintos usam o sal para combater o mau-olhado, e deixar a casa a salvo de energias nefastas.
O sal é um cristal e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas.
Ele tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos Visto ao microscópio o sal bruto revela que é um cristal, formado por pequenos quadrados ou cubos achatados.
As energias densas costumam se concentrar nos cantos da casa, por isso, colocar um copo de água com sal grosso ou sal de cozinha equilibra essas forças e deixa a casa mais leve.
Para uma sala média onde não circula muita gente, um copo de água com sal em dois cantos é suficiente.
Em dois ou três dias, já se percebe a diferença. Quando se formam bolhas é hora de renovar a salmoura.
A solução de água e sal também é capaz de puxar os íons positivos, isto é, as partículas de energia elétrica da atmosfera, e reequilibrar a energia dos ambientes.
Principalmente em locais fechados, escuros ou mesmo antes de uma tempestade, esses íons têm efeito intensificador e podem provocar tensão e irritação.
A prática simples de purificação com água e sal deve ser feita à menor sensação de que o ambiente está carregado, depois de brigas ou à noite, no quarto, para que o sono não seja perturbado.
Já foi considerado o ouro branco (salmoura para conservar alimentos). Os povos foram desenvolvendo técnicas de usar o sal, como as abaixo descritas:
Uma pitada de sal sobre os ombros afasta a inveja.
Para espantar o mau-olhado ou evitar visitas indesejáveis
Caboclos e caipiras costumam colocar uma fileira de sal na soleira da porta ou um copo de salmoura do lado esquerdo da entrada.
A mistura de sal com água ou álcool absorve tudo de ruim que está no ar, ajuda a purificar e impede que a inveja, o mau-olhado e outros sentimentos inferiores entrem na casa.
Depois de uma festa, lavar todos os copos e pratos com sal grosso para neutralizar a energia dos convidados, purificando a louça para o uso diário. Na tradição africana, quando alguém se muda, as primeiras coisas a entrar na casa são: um copo de água e outro com sal. Usam sal marinho seco, num pires branco atrás da porta para puxar a energia negativa de quem entra. Também tomam banho com água salgada com ervas para renovar a energia interna e a vontade de viver.
No Japão, o sal é considerado poderoso purificador. Os japoneses mais tradicionais jogam sal todos os dias na soleira das portas e sempre que uma visita mal vinda vai embora.
Símbolo de lealdade na luta de sumô. Os campeões jogam sal no ringue para que a luta transcorra com lealdade.
Use esse poderoso aliado!
É barato, fácil de encontrar, e pode lhe ajudar em momentos de dificuldade e de esgotamento energético!
Após seu banho convencional, deixe um punhado de sal grosso escorrer do pescoço para baixo, embaixo da água da ducha.
Banho de sal grosso e o antigo escalda-pés (mergulhar os pés em salmoura bem quente) têm o poder de neutralizar a eletricidade do corpo. Para quem mora longe da praia é um ótimo jeito de relaxar e renovar as energias. Tomar banho de água salgada com bicarbonato de sódio descarrega as energias ruins e é relaxante.
O famoso banho de assento, com água morna e bicarbonato de sódio, é excelente para a higiene íntima, pois evita infecções.
Mas no banho, o único cuidado é não molhar a cabeça, pois é aí que mora o nosso espírito e ele não deve ser neutralizado.
Uma opção que agrada muitas pessoas é colocar um punhado de sal dentro de uma meia, e repousar esta na nuca (atrás do pescoço) debaixo da ducha. Não são aconselháveis banhos frequentes com o sal.
Benefícios Fisiológicos:
Ajuda a desintoxicar o corpo e afastar os vírus.
Estimula a circulação natural para a melhoria da saúde
Ajuda a aliviar o pé do atleta, calos e calosidades.
Relaxa a tensão, dores musculares e nas articulações.
Ajuda a aliviar artrite e reumatismo
Ajuda a aliviar a dor lombar crônica
Benefícios estéticos:
Tira as impurezas da pele
Alivia irritações da pele como psoríase /eczema.
Alivia comichão, ardor e picadas.
Suaviza e amacia a pele• Incentiva a pele se renovar.
Ajuda a curar as cicatrizes.
Restaura o equilíbrio a umidade da pele.
Benefícios gerais:
Alivia o cansaço, os pés doloridos e os músculos da perna
Alivia a tensão nas mãos e punhos.
Ajuda a aliviar lesões ocorridas nas práticas esportivas.
Proporciona um relaxamento profundo
Ajuda a aliviar o estresse e tensão.

 

10561599_10201415630631666_5452911493721745116_n

Biólogos descobrem gene que desacelera o envelhecimento

O chamado AMPK estimula um mecanismo das células que descarta materiais envelhecidos

A vida de uma drosófila normalmente dura cerca de seis semanas.

Depois que um grupo de biólogos da Universidade da Califórnia induziu um aumento na quantidade do gene AMPK ativa em seus intestinos, passaram a viver com mais saúde por um período de até oito semanas – pode parecer pouco, mas para a realidade do inseto o aumento corresponde a uma expectativa de vida 30% maior.

O resultado é promissor pois o gene também está presente no genoma humano, e pode surtir efeitos semelhantes em nosso organismo.

5238549826_511f351faa_o

“Ao invés de estudar as doenças do envelhecimento uma por uma, acreditamos ser possível intervir no processo e atrasar o aparecimento delas”
David Walker, biólogo molecular

“Ao invés de estudar as doenças do envelhecimento – Mal de Parkinson e de Alzheimer, câncer, derrame, doença cardiovascular, diabetes – uma por uma, nós acreditamos que pode ser possível intervir no processo de envelhecimento e atrasar o aparecimento de muitas destas doenças”, explica David Walker, biólogo molecular e um dos autores do artigo, publicado na última semana no periódico acadêmico Cell Reports.

O gene funciona como uma espécie de sensor de energia da célula, e é ativado naturalmente quando os níveis energéticos estão baixos. O mecanismo que ele origina é a chamadaautofagia, através do qual as células descartam resíduos como organelas envelhecidas ou danificadas. Se permanecer por muito tempo no interior celular, este “lixo” pode causar danos, provocando o envelhecimento. Apesar de ter sido focado no intestino dos animais, uma vez estimulada, a ação do AMPK se estende pelo corpo todo.

“Nós mostramos que quando ativamos o gene no intestino ou no sistema nervoso, vemos que o processo de envelhecimento é desacelerado para além do sistema de órgãos em que o gene é ativado”, diz o professor. Dessa forma, seria possível retardar os efeitos da velhice no corpo e também no cérebro. Walker ressaltou que o gene é ativado principalmente pela droga metformina, usada no tratamento da diabetes tipo 2.

Via Medical Xpress

images (3)

Quais são os sintomas de um problema cardíaco nas mulheres?

Temos que levar em conta: os sintomas de um enfarto em mulheres são muitas vezes diferentes das dos homens. Por isso que cada vez mais está aumentando o índice de mortalidade feminina em termos de ataques de coração. Em geral, eles costumam se camuflar com o cansaço, e com as dores que não sabemos reconhecer. Vale a pena se aprofundar um pouco mais no assunto para o nosso bem.

 

Sintomas de uma doença cardíaca em mulheres

Cuidar-al-corazon

Temos que deixar de lado essa clássica imagem de um homem segurando o braço ou tocando o peito antes de sofrer um ataque do coração, ou de sofrer uma angina. Novas pesquisas publicadas na revista de medicina “British Columbia”, dizem que o índice de afetados com um enfarto é de 19% nas mulheres, em comparação com 13,7% nos homens.

Quer dizer, alguma coisa está acontecendo.

E essa alguma coisa, é que frequentemente as mulheres têm sintomas que não prestam muita atenção ou que não o levam a sério. Às vezes se preocupam mais pelos seus familiares ao seu redor, do que com elas mesmas. É preciso ter cuidado, por isso é essencial que conheçamos os seguintes alertas.

1. Pressão no peito

Às vezes, podemos sentir uma queimação no peito, uma pressão que nos produz cansaço. Pode ser que você o confunda com ansiedade, que fale a você mesma que está nervosa por causas das obrigações diárias. Mas se você sente que tem essa sensação todos os dias, procure um médico para que te faça um check up. Nos homens é habitual, por exemplo, que esta pressão comece no peito e depois passe para o braço na forma de um estranho formigamento, mas nas mulheres costuma iniciar de uma forma focal no peito, e corresponde em geral a uma angina.

2. Dor aguda na parte superior do corpo, no pescoço, nas costas e na mandíbula

Dolor-en-la-espalda-lumbar

Este sintoma pode se localizar como uma dor em ambos os braços, nas costas, nos ombros, no pescoço, na mandíbula ou na parte alta do estômago (não debaixo do umbigo). Complicado, não é? Por isso que este tipo de desconforto o associamos com frequência a dores de ossos, a osteoporoses, por exemplo, tão comum em nós mulheres. Quer dizer, não prestamos muita atenção porque pensamos que é o cansaço ou uma simples dor de ossos que diminuímos com um anti-inflamatório.

Mas não o menospreze, porque a dor nas costas, no pescoço ou na mandíbula é um sintoma de enfarto mais comum nas mulheres do que nos homens.

3. Cansaço anormal e falta de ar

Cansancio

Um dado que se tem que levar em conta é, que de costume os homens sintam já pequenos avisos quando estão fazendo atividade física. Estão trabalhando e de repente paralisa o braço, ou não podem respirar. Entretanto, quando descansam estes sintomas desaparecem. Mas nas mulheres é diferente, os enfartos nelas costumam acontecer quando, por exemplo, estão sentadas ou inclusive dormindo. Quer dizer, o enfarto em si pode chegar mais em repouso do que em atividade. Porém, existem sintomas que tem que estar atenta, não se esqueça, um cansaço extremo, fora do normal, e dores na parte alta do peito. Preste atenção principalmente quando sobe escadas, se perceber que te custa muito, que sente sensação de asfixia, acompanhado dessa clássica pressão no peito que já comentamos, não hesite, procure um médico imediatamente.

Outro aspecto que você deve lembrar: os homens, por exemplo, costumam sofrer desmaios que já nos avisam que existe um problema cardíaco. Nós, mulheres, no entanto, sofremos de pequenas vertigens que não tem porque chegar a perder o conhecimento. Por isso que seja comum não levá-lo a sério. É um descuido que não devemos esquecer, qualquer indício deve ser levado em conta.

4. Sentir o estômago embrulhado

Dolor-abdominal

Mal-estar e sensação de estômago pesado. O que comemos nos cai mal e sofremos de uma espécie de acidez frequente, que termina em vômitos. É muito fácil confundir estes sintomas com qualquer outra doença, com qualquer outro incômodo cotidiano como o refluxo gástrico. Mas não o menospreze, especialmente se este mal-estar estomacal vem sempre acompanhado por um suor frio muito característico. De repente você se sente cansada, com tremedeira, dor de estômago e com uma angustia muito aguda.

Para concluir apenas dizer que a maioria dos enfartos e anginas, costumam dar indícios, dicas e incômodos que já nos advertem. O maior problema nas mulheres é que costumam relacionar estes aspectos com outras coisas, com o cansaço cotidiano, com a dor nas costas que sofrem todos os dias, com os nervos ou estresse que aperta no estômago ou no peito… Se você percebe que este cansaço é mais exagerado todos os dias, se te custa respirar ou se sente angustiada, procure o seu médico para que te faça um exame. Não gaste todos seus esforços em cuidar dos outros, escute também a si mesma. Perceber a tempo os indícios do enfarto pode salvar vidas. Não se esqueça!

10665870_356266051193310_8398884018033736268_n

Ser chique – Sempre

Nunca o termo “chique” foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje.

A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.
Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.
Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.
Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.
Chique mesmo é parar na faixa de pedestre e evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.
Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar do aniversário dos amigos.
Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir. 
Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É “desligar o radar” quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia.
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.
Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!
Mas para ser chique, chique mesmovocê tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos retornar ao mesmo lugar, na mesma forma de energia.
Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem.

10616682_355585497928032_6817756168485925374_n

GLÓRIA KALIL

 

10590682_531342400330957_4968579596505657961_n

Neurocientistas afirmam que é possível reescrever más lembranças

ukyuku

As emoções relacionadas a lembranças podem ser reescritas, fazendo com que eventos ruins do passado pareçam melhores e coisas boas, piores, descobriram cientistas do Japão e dos Estados Unidos, que deram detalhes de seu estudo em artigo publicado nesta quarta-feira (27) na revista científica britânica Nature.

De acordo com eles, a descoberta do mecanismo por trás do processo ajuda a explicar o poder dos tratamentos atuais de psicoterapia para doenças mentais, como a depressão ou o Distúrbio de Estresse Pós-traumático (DEPT), e pode abrir novas vias para o tratamento psiquiátrico.

“Estas descobertas validam o sucesso da psicoterapia atual, ao revelarem seu mecanismo subjacente”, explicou à AFP, em Tóquio, o chefe das pesquisas, Susumu Tonegawa.

 

A equipe de cientistas, formada a partir de uma colaboração entre o Instituto RIKEN, do Japão, e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), dos Estados Unidos, usaram a optogenética – uma nova técnica de controle cerebral que usa a luz – para compreender melhor o que acontece quando pensamos no passado.

 

Eles descobriram que sentimentos acolhedores ou de medo intenso, provocados pela interação entre o hipocampo – o ‘confessionário’ do cérebro – e a amígdala – o local onde seria codificada a positividade ou a negatividade – são mais flexíveis do que se pensava.
“Depende da intensidade da prevalência (do aspecto bom ou ruim). Há uma competição entre as duas forças de conexão dos circuitos”, explicou Tonegawa.

 

Os cientistas injetaram em dois grupos de camundongos machos proteínas de uma alga sensível à luz, permitindo a eles identificar a formação de uma nova memória na medida em que acontecia e, com isso, usar pulsos de luz para reativá-la quando quisessem.

Eles permitiram a um grupo de roedores brincar com as fêmeas, criando uma memória positiva. O outro grupo levou um pequeno, porém desagradável, choque elétrico no chão.

 

Memória dolorosa Em seguida, os cientistas reativaram artificialmente a memória, usando os pulsos de luz, efetivamente fazendo os roedores se lembrarem do que tinha acontecido com eles.

Enquanto os ratinhos “lembravam” o evento, eles vivenciavam a experiência oposta: as cobaias com a memória positiva levavam um choque, enquanto aqueles com a memória dolorosa eram conduzidos a fêmeas.

Tonegawa explicou que sua equipe descobriu que a emoção da nova experiência subjugou a emoção original, reescrevendo a forma como o animal se sentiu a respeito.

 

Os cientistas esperam que suas descobertas possam abrir novas possibilidades para tratar distúrbios do humor, como depressão ou estresse pós-traumático, uma condição mais presente em determinados segmentos da sociedade, como os militares, em que as pessoas vivenciaram eventos particularmente trágicos ou de risco de morte.

 

“No futuro, eu gostaria de pensar que, com a nova tecnologia, seremos capazes de controlar os neurônios no cérebro sem fios e sem ferramentas intrusivas, como os eletrodos”, disse Tonegawa, que ganhou o Prêmio Nobel de Fisiologia e Medicina em 1987.

“Poderíamos fazer prevalecer as lembranças boas sobre as ruins”, afirmou.

 

Em um comentário também publicado na Nature, os cientistas especializados em cognição Tomonori Takeuchi e Richard Morris, da Universidade de Edimburgo, na Escócia, disseram que o estudo representa uma inovação na exploração de mecanismos da memória, embora a optogenética tenha limitações como uma ferramenta para fazer isso.

 

“Mas a engenharia molecular está lançando luz sobre nossa compreensão das redes de memória fisiológica subjacente”, escreveram.